Macroeconomia

21 Mai 2020

Com forte demanda chinesa, exportação do agro cresce 6% no 1º quadrimestre de 2020

No Brasil, a exceção é o setor agropecuário, que tem mantido bom desempenho em 2020, com crescimento da produção e exportações firmes, mesmo em meio à crise sanitária mundial.

O ano de 2020 tem colocado a sociedade mundial diante de muitas incertezas. A principal medida de enfrentamento da pandemia do coronavírus tem sido a redução da circulação de pessoas e de mercadorias, o que impõe limites às atividades econômicas de países afetados, com consequente diminuição das trocas comerciais. Com isso, o volume total de comércio, tanto interno quanto externo, deve recuar neste ano.

No Brasil, a exceção é o setor agropecuário, que tem mantido bom desempenho em 2020, com crescimento da produção e exportações firmes, mesmo em meio à crise sanitária mundial.

Segundo pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, de janeiro a abril deste ano, o volume de produtos do agronegócio exportado pelo Brasil cresceu 6% frente ao mesmo período de 2019. O faturamento externo somou US$ 31 bilhões, mas a elevação ficou limitada a 2%, devido à queda de mais de 3% dos preços médios em dólar; em Real, no entanto, o incremento na receita foi de 14%. Diante desse resultado, a participação do setor nas exportações totais do País foi de 47% no primeiro quadrimestre.

Quanto ao maior volume embarcado no período, esteve atrelado à elevação das vendas da maioria dos produtos do agronegócio, mas os destaques foram algodão, carne suína, açúcar, soja em grão, óleo de soja, carnes bovina e de aves.

DESTINO – A China continua expandindo suas relações comerciais com o Brasil e aumentando a sua participação no total exportado pelo agronegócio. Neste início de 2020 (até abril), a participação do país asiático foi superior a 37% nas exportações totais do Brasil. Os países que compõem a Zona do Euro ficaram na segunda posição, com participação de 16% nas exportações brasileiras do agronegócio; e, na terceira posição, os Estados Unidos, que absorveram mais de 6%. O país norte-americano foi seguido por Japão (2,2%), Bangladesh (2,1%), Turquia (2%) e Hong Kong (1,9%). Vale destacar a importância dos países asiáticos e do grupo “outros países”, que, em conjunto, mantiveram participação superior a 30% das exportações totais do setor no primeiro quadrimestre de 2020

 

PERSPECTIVAS PARA 2020 – Este deve ser mais um ano de boa colheita de grãos, o que deve manter elevada a disponibilidade dos produtos, tanto para consumo doméstico quanto para exportação. Mais uma vez, a disputa comercial entre China e Estados Unidos e os problemas relacionados ao controle da produção, por conta das infecções por coronavírus no segundo país, devem favorecer o Brasil, que pode manter fatia maior nas exportações de produtos agrícolas ao mercado asiático, com destaque para grãos e carnes.

Por outro lado, os preços no mercado internacional têm se depreciado, devido às quedas esperadas na atividade econômica dos países e, consequentemente, da renda de seus habitantes e à boa oferta mundial esperada para o próximo ano-safra. Além do efeito das crises, há também o efeito de juros menores sobre a taxa de câmbio, mantendo o Real mais desvalorizado no futuro, o que eleva a competitividade dos produtos brasileiros no exterior e favorece o crescimento das vendas externas.

Com produção recorde e moeda mais desvalorizada, o faturamento em Real do setor deve continuar em alta em 2020, mas, para isso, os agentes públicos e privados precisam trabalhar para manter indústrias e portos em funcionamento nesse período de agravamento da doença. Pois, do lado da demanda, a necessidade de garantir o abastecimento de seus habitantes e a consequente segurança alimentar da população devem levar nossos parceiros comerciais a manter uma demanda firme por alimentos.

Fonte:
Cepea

 

Macroeconomia
Dólar fecha em queda por correção, mas se afasta de mínimas com piora externa

O dólar caiu 0,9% ante o real nesta terça-feira, com a moeda brasileira seguindo correção vista em outras divisas emergentes que recentemente sofreram expressivas quedas.
Hoje
Ibovespa segue piora em NY e fecha em queda; Linx dispara mais de 30%
Ibovespa fechou em queda nesta terça-feira, seguindo a piora em Nova York diante da falta de avanços nas negociações para novos estímulos fiscais nos Estados Unidos.
Hoje
Dólar vai à máxima desde fim de junho com exterior
O dólar começou a semana em alta, na 4ª valorização diária consecutiva e na máxima desde o fim de junho, puxado por um dia de moeda norte-americana fortalecida.
10 Ago 2020
Dólar vai à máxima desde junho com correção global de ativos
07 Ago 2020
O dólar engatou a terceira alta consecutiva, amparado por um dia de aversão a risco nos mercados externos em meio a dados nos EUA e incertezas sobre novo pacote de auxílio norte-americano.
Funcafé: liberação dos recursos na safra 2020 soma R$ 1,523 bilhão
07 Ago 2020
A liberação dos recursos do Funcafé aos agentes financeiros, na safra 2020, chegou a R$ 1,523 bilhão até ontem, 6 de agosto.
Ibovespa fecha em alta seguindo NY e Selic a 2%
06 Ago 2020
O Ibovespa fechou em alta pelo segundo pregão seguido, favorecido pelos ganhos em Wall Street e noticiário corporativo positivo.
Dólar fecha em alta com corte de juros e incerteza fiscal
06 Ago 2020
O dólar fechou em firme alta, com o real amargando o segundo pior desempenho entre as principais moedas um dia após o BC não descartar espaço para novo corte de juros.
PIB agro segue em alta em maio e crescimento no ano é de 4,62%
06 Ago 2020
Pelo 5º mês consecutivo, o PIB do agronegócio cresceu em maio, 0,78%, de acordo com cálculos do Cepea. Assim, o setor amplia o avanço no ano (de janeiro a maio) para 4,62%.
Dólar tem amplas oscilações no dia, mas fecha em leve alta com foco em Copom
05 Ago 2020
O dólar encerrou em leve alta, apesar da fraqueza da moeda no exterior, com expectativas do Banco Central ao anunciar mais tarde a decisão sobre os juros.
Contratação de crédito agrícola tem recorde de R$ 24,15 bi no 1º mês do Plano Safra
05 Ago 2020
O governo afirmou que todas as modalidades de financiamento tiveram alta no período, destacando um avanço de 110% no crédito para investimento, que somou 5,2 bilhões de reais.
www.investbras.com.br
Contato
Fone: (34) 3832-0300
Rua Cesário Alvim, 1342 – 2º Piso, Sala 3
Centro - Patrocínio-MG
CEP 38740-040
Notícias sobre:
Investbras
Agente Autônomo de Investimentos

Ouvidoria Terra Investimentos
0800 940 0406